14% dos candidatos no Paraná se declararam negros, pardos, amarelos ou índios

Apenas um dos 1,2 mil candidatos que disputam alguma das vagas nas eleições paranaense deste ano se autodeclarou indígena. Candidato a deputado estadual pelo PHS, Ivan Kainkang, de Nova Laranjeiras, representa 0,08% do total de candidatos e 0,13% do total dos que buscam uma das 54 vagas na Alep. O percentual é menos da metade do que representava a população indígena no Paraná, de 0,25% dos 10 milhões de habitantes, segundo Censo de 2010.

A baixa representatividade na política verificada por meio das candidaturas também é nítida para quem se declarou negro, pardo e amarelo ao Tribunal Superior Eleitoral. Retiradas as candidaturas de brancos, sobram apenas 185 candidatos que declararam de outra cor ou raça, ou seja, 14% do total de candidatos.

De acordo com dados do TSE, 65 dos candidatos se autodeclararam negros, ou seja, pouco mais de 5% do total de candidatos. Na sequência, 6 candidatos (0,47%) se autodeclararam de cor amarela e 113 (8,85%) declararam pardos ao tribunal nas eleições do Paraná.

A concentração de brancos não é apenas na quantidade de cargos, mas também na concentração do patrimônio declarados. Dos pouco mais de R$ 1,13 bilhão declarados ao tribunal nas eleições deste ano como patrimônio, 96,8% (R$ 1 bilhão) são de candidatos que se autodeclararam brancos.

O patrimônio declarado pelos candidatos pardos representa 1,58% do total declarado, os candidatos que se autodeclararam amarelos e negros apresentaram patrimônio equivalente a 0,8% do total cada um.

Outro aspecto é a escolaridade. Com exceção do candidato que se autodeclarou indígena, que indicou possuir ensino médio completo, mais de 40% dos candidatos de outras raças/cor informaram ao TSE possuírem ensino superior completo. Confira o gráfico abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 5 =