Capachos personalizados podem custar até R$ 123 mil para o Tribunal de Justiça

Uma compra de até 650 capachos, tapetes e passadeiras em fibra de vinil, parte deles personalizados com “TJPR” estampado em cada um deles. Este é objeto da licitação lançada pelo Tribunal de Justiça do Paraná (TJ), cujo valor máximo indicado no edital é de R$ 123 mil.

De acordo com o TJ, a justificativa para a licitação é para a “reposição de estoques e inclusão de novos modelos para comporem o estoque, visando as necessidades de uso nas edificações deste Tribunal”. Pelo edital, o órgão está sem tapetes nos estoques, e “a última compra efetuada foi realizada pelo empenho nº 20234-1”, de 2012.

O edital é para registro de preços para eventual aquisição dos materiais. Isso significa que o tribunal não obrigatoriamente comprará a quantidade licitada, ficando a aquisição condicionada às necessidades do órgão.

O custo máximo unitário varia de R$ 120 para um capacho medindo 80 cm x 60 cm até R$ 1,7mil em um tapete de 3800 cm x 100 cm. O lote com maior volume de itens é o de 500 capachos medindo 1,20 m x 80 cm ao custo de até R$ 144,00 e com “filamentos de vinil entrelaçados e vulcanizados, com fibras macias, duráveis e resistentes de forma que suporte alto tráfego, não inflamável, laváveis e de secagem rápida” . Confira o edital no site do TJ clicando aqui.

E com essa iniciamos mais um #ComprasDaSemana, com brevemente conta com mais uma licitação compilada pelo Livre.jor.

Edital da Cohapar prevê gasto de até R$ 26 mil em chaveiros

Se cada chaveiro previsto na licitação da Cohapar for correspondente a uma habitação popular, isso significa que em um ano, a empresa pública poderia entregar nove mil residências. O edital, no modelo de registro de preço, indica um custo que pode chegar a R$ 26 mil no lote de chaveiros. O preço máximo por unidade é de R$ 2,89.

No entanto, os chaveiros não serão apenas para acompanhar as chaves de novas residências. De acordo com o edital da Cohapar, podem ser usados também pela assessoria de comunicação e cerimonial da empresa para exposições e feiras.

Ainda segundo a justificativa para a compra dos produtos se dá pela necessidade da estatal em “ampliar a exposição da marca Cohapar em todo o estado do Paraná”. A depender da aprovação de projeto de lei que tramita na Assembleia Legislativa, a Cohapar terá mais função a ser desempenha no Paraná, com ampliação das atribuições do órgão, que pode ter papel de exclusividade no âmbito das políticas públicas habitacionais.

Como é por ata de registro de preços o edital, a empresa não necessariamente é obrigada a utilizar e pagar a quantidade orçada. Clique aqui e confira a chamada do edital, publicada no Diário Oficial da Indústria.
#comprasdasemana – Seguimos a empreitada, aqui no Livre.jor – totalmente inspirada pelo Contas Abertas – de vasculhar editais e diários oficiais para registro das compras mais inusitadas, despropositadas e divertidas dos poderes públicos paranaenses. Ressaltamos que não há aqui qualquer apontamento ou indicação de suspeita de irregularidade nestes gastos, apenas resolvemos agrupar as compras pitorescas, que se destacam nas páginas dos editais públicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 5 =