Clássicos nacionais estão entre os mais lidos nas penitenciárias do Paraná

A Lei de Execução Penal prevê que todos os estabelecimentos penais do Brasil disponham de uma biblioteca. De acordo com dados enviados pela Secretaria de Segurança Pública ao Livre.jor, esta determinação é integralmente cumprida no Paraná. Pois bem, acesso aos livros os presos têm, mas o que costumam ler? Perguntamos à SESP, que nos respondeu de forma um tanto genérica.

Sob o código 7020/2015, fizemos exatamente esta pergunta à secretaria: “quais os cinco livros mais lidos nas três maiores penitenciárias do estado?”

Na resposta, o órgão diz que “os antigos escritores nacionais” são os mais procurados. Entre eles, Machado de Assis, José de Alencar e Aluizio de Azevedo. Explicando esta preferência, a SESP diz que são estes os autores indicados pelas pedagogas do sistema penal para os trabalhos educacionais dos internos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + onze =