Confira as 10 MAIS LIDAS de 2016 no Livre.jor

Em 2016, a equipe do Livre.jor arranjou tempo para produzir 162 notícias e apurar mais 35 na parceria com a Gazeta do Povo. Foram 197 oportunidades, ao longo do ano, para nos encontrarmos buscando informação. Se somar também o conteúdo dos estudantes que participaram de oficinas do Livre.jor e dos jornalistas convidados chegamos a 210 matérias

CAMPEÃ – Não botamos na lista a notícia sobre o custo da sessão de impeachment de Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados – R$ 3,5 milhões em horas extras de servidores – pois ela foi a campeã em repercussão. Só que não dentro do Livre.jor, mas na Pública, UOL, Lupa, Piauí e Folha de S. Paulo. Uma distinção hors concours, que a coloca fora da competição. Aqui segue a lista das 10 MAIS LIDAS:

1º – Divulgado edital para comprar 140 iPhones, o governo suspendeu
No dia 30 de junho, Livre.jor divulgou o interesse do Governo do Paraná comprar, via Celepar, 140 celulares iPhone 6S. O edital foi flagrado no diário oficial. A história foi vista por 31,4 mil pessoas no Facebook. A imprensa local se interessou e a despesa de R$ 651 mil foi cancelada dias depois – e também foi noticiada por aqui.

2º – Seis meses antes da eleição, pessoas em situação de rua eram reportagem
Sem informações oficiais a respeito da população em situação de rua em Curitiba, Livre.jor apelou para o único dado aberto sobre o assunto: telefonemas ao 156. A reportagem “Os pontos vermelhos no mapa são pessoas vivendo nas ruas de Curitiba” foi visualizado 30,7 mil vezes. A abordagem gerou críticas de outros jornalistas, com análise do jornalista Eriksson Denk. E meses depois a FAS divulgou a primeira pesquisa oficial. O assunto seria explorado depois na campanha eleitoral.

3º – O prefeito eleito disse que mentimos, mas não foi bem assim
Depois de vencer as eleições municipais, o prefeito eleito, Rafael Greca, disse que o Livre.jor e a Gazeta do Povo (numa das parcerias) tinham atribuído a ele “sandice que não tinha dito”. Daí publicamos as peças de propaganda dele que prometiam “zerar a fila de cirurgias e consultas de exames especializados”. Ficou só no Facebook nossa nota, contrapondo os documentos à acusação, em que afirmamos não fazer sensacionalismo. Esse “diálogo” foi visto por 24,6 mil pessoas.

4º – Governo do Paraná paga R$ 812 mil em pesquisas – e proíbe o acesso a elas
Em quarto lugar, a história dos R$ 812 mil pagos em pesquisas de opinião que o Governo do Paraná prefere manter em segredo. A resposta do Executivo a um pedido de informação, solicitando acesso às pesquisas pagas com dinheiro público, foi que seria “desnecessário” e “improdutivo” abrir esses dados. O curioso é que daí notamos uma discrepância na contabilidade, que levou a 44 erros nos gastos com publicidade em 2015 do Governo do Paraná – situação “perdoada” pela administração. 22,5 mil pessoas tiveram contato com essa história.

5º – A 1ª estatística sobre os efeitos positivos da Área Calma
Em 2017, Livre.jor esteve em todos os cursos de Jornalismo de Curitiba (menos na Opet, quer dizer). Lá por fevereiro, numa oficina com estudantes da UFPR, Helena Salvador e Márcia Faustino, levantaram os primeiros dados sobre os efeitos positivos da Área Calma na região central. Quer dizer, apuraram, com dados do Corpo de Bombeiros, que os atropelamentos tinham caído – mas que choques e colisões seguiam sem oscilação significativa. A história interesseou a 15,8 mil pessoas. E a abordagem irritou um pouco a prefeitura (procurem os comentários no Facebook)…

6º – Paraná teve 75 mil crimes contra a mulher em 2015
Levantamento da Secretaria de Segurança Pública, incluído num relatório da Assembleia Legislativa, afirmou que no ano passado 75 mil mulheres foram agredidas no Paraná. A notícia, divulgada em março por Livre.jor, foi lida por 12,9 mil pessoas. Um vídeo sobre o assunto também foi produzido, com dados nacionais.

7º – Quando o Tribunal de Justiça cobrou produtividade de um magistrado
A história, vista por 11 mil internautas, repercutiu mais entre os advogados. É que no dia 9 de maio, mantendo a identidade da juíza em sigilo, a Corregedoria do TJ-PR optou por “sequestrar” processos em atraso e delegar a solução deles a uma força-tarefa. De tão inusitado, o imbróglio entrou no TOP 10.

8º – Candidatos milionários que concorreram na eleição de 2016
Dentro das parcerias com a Gazeta do Povo, a reportagem que analisou o patrimônio declarado dos candidatos a vereador em Curitiba atraiu, só no Facebook do Livre.jor, a atenção de 9,9 mil pessoas. No site do jornal, foram 24 comentários.

9º – Vereadores cujo patrimônio “engordou” também chamou a atenção
Outra reportagem da cobertura eleitoral de 2016 que atraiu a atenção foi a que mostrava como o patrimônio de 9 veredores em busca de reeleição aumentou nos últimos 4 anos. Só no Livre.jor, 7,5 mil prestaram atenção no assunto.

10º – Ônibus de Curitiba perdem passageiros desde 1996
Antes da eleição esquentar em Curitiba, Livre.jor produziu reportagens sobre a conjuntura da cidade. Dessas, a que mais repercutiu trata da queda continuada no número de passageiros do transporte coletivo de Curitiba. A matéria atualiza dados publicados em primeira mão na reportagem especial #tarifaCuritiba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × um =