De futebol a bocha: Copel pode pagar R$ 29 mil em arbitragem para jogos internos

Edital para contratar árbitros para jogos? Não é para o Campeonato Paranaense e nem para a Copa FIFA, mas sim para competições promovidas pela própria Copel. Licitação de até R$ 29 mil publicado pela estatal no Diário Oficial da Indústria prevê contratação de “serviços de arbitragem para atender a demanda dos Jogos Internos”.

Os juízes e auxiliares contratados apitarão jogos de futebol master, futebol de salão, handebol, vólei de salão e de areia, futvôlei, atletismo, tênis de mesa, corrida rústica e revezamento, natação, xadrez e até bocha. Segundo o edital, os árbitros deverão ter cursos das federações das modalidades elencadas.

As equipes serão responsáveis por oferecer os equipamentos de medição, cronometragem, apitos e cartões. Os custos de hospedagem e alimentação das equipes contratadas também ficarão a cargo da Copel. O contrato será para as duas fases de jogos da estatal, sendo a primeira prevista para a segunda quinzena de maio e a segunda prevista para a segunda quinzena de agosto deste ano. Com essa damos início a mais um ano de #ComprasDaSemana. Confira abaixo mais licitações selecionadas dos diários oficiais.

R$ 191 mil em capas para proteção de processos – o governo do Paraná lançou edital de registro de preços para compra de 20 mil capas plásticas para proteção e processos. A compra, segundo o documento do edital, é para “reabastecimento da Diversos Órgãos e Entidades da Administração Estadual Direta e Indireta”, como as secretarias de segurança e de educação e a Paraná Educativa. Cada pasta pode custar R$ 8,90. Calculados pelo teto da licitação e pela quantidade máxima permitida na compra, a aquisição dos materiais pode custar pouco mais de R$ 191 mil aos cofres do estado. O edital consta no Diário Oficial da Indústria desta terça-feira (23). Clique aqui e confira.

Edital para aeronave do governador fica deserto pela segunda vez – ninguém deu lance nesta segunda-feira (23) no edital de até R$ 4,8 milhões para contrato de um ano de táxi aéreo para o governo paranaense. Em dezembro passado, o Livre.jor, em parceria com a Gazeta do Povo, divulgou o edital do governo para locação de jatinho para atender o governador. A última vez que o governo abriu licitação para o mesmo objeto foi em 2013. De lá pra cá, foram apenas aditivos ao contrato com a Helisul Táxi Aéreo, em um contrato que nesses quatro anos custou mais de R$ 14 milhões ao Estado.

A estimativa de uso para o novo contrato é de até 135 mil quilômetros de voo no ano de 2018. O valor foi calculado com base na média no uso do jato pelo governo em 2013, com 150 mil quilômetros de voo, junto com a projeção do uso em 2017, de 120 mil quilômetros. O preço médio do quilômetro voado, segundo edital assinado pela Casa Militar, pode chegar a R$ 36. A licitação prevê a locação de “aeronave de asas fixas, a jato, em perfeitas condições de uso”. Como o uso é por quilometragem, o valor de locação final a ser pago pode ser menor que o estipulado na licitação.

Em 15 de dezembro, primeira abertura da licitação, ninguém deu lance para o serviço. Republicado por ter sido “deserto”, o edital teve sua segunda abertura para recebimento de lances nesta segunda-feira(23), e novamente ficou sem receber intenções de interessados em fornecer jatinho para o governador.

One comment

  1. os jogos internos para funcionários uma
    prática de muitos anos , qualidade de vida , talvez em tempos de redução de custo o modelo possa ser revisto mas imagino que outros custos podem ser melhor administrado como a quantidade de funcionários com gratificação …..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete + dezenove =