Now Reading
Dos militares à recusa de contribuição assistencial: confira as atas da comissão salarial do governo do Paraná

Dos militares à recusa de contribuição assistencial: confira as atas da comissão salarial do governo do Paraná

Continuamos com a empreitada de divulgação de documentos públicos sobre negociações salariais dos servidores com o governo. Desta vez o Livre.jor teve acesso às atas das reuniões ordinárias e extraordinárias da Comissão de Política Salarial (CPS) de janeiro a setembro de 2019. Em agosto do ano passado, divulgamos as atas que conseguimos via Lei de Acesso à Informação (LAI) referentes às decisões da CPS em 2018.

Criada em 2015, na gestão do então governador Beto Richa, a CPS é subordinada à Casa Civil, e controla as negociações que afetam salários e condições de trabalho de milhares de servidores e funcionários da administração direta e indireta. Com participação de secretário da fazenda, da administração, chefe da Casa Civil, dentre outros, a comissão se reúne ao menos uma vez por mês, e delibera por e-mail uma série de demandas vindas das secretarias e de empresas públicas como Copel, Sanepar e Compagas.

Decisões sobre criação de Colégio Militar em Pato Branco, aprovação de pagamento de cerca de R$ 20 milhões em horas extraordinárias nas universidades estaduais, recusa em recolher contribuição assistencial para sindicatos em negociação na Sanepar estão na lista de quinze atas com votação e manifestação de secretários em e-mail e decisões presenciais. Confira nos links a seguir.