Em Brasília, câmara pode gastar até R$ 884 mil em pó de café

Pó o suficiente para encher mais de 550 caixas d’água com café coado. Este é o total aproximado de produção possível com a quantidade de pó de café a ser comprado pela câmara dos deputados, em Brasília. Ao custo de até R$ 884 mil, a casa publicou edital para licitar 53 mil toneladas de “café em pó, categoria superior”.

De acordo com o edital, a compra atende a demanda de “autoridades, de servidores, de terceirizados, de estagiários e de visitantes”. Ainda de acordo com o documento, a quantidade definida na licitação foi calculada com base no consumo de café dos últimos quatro anos na câmara.

Em pacotes de 500 gramas, as 107 mil unidades de café podem custar até R$ 8,26 cada. Não será permitido, segundo edital da câmara, pó “alterado ou adulterado por qualquer forma ou meio, inclusive pela adição de corantes ou outros produtos que modifiquem a sua composição”.

Antes de fechar o acordo, a casa de leis fará análise de laudos microbiológicos, laudos sensoriais e laudos de análise de ocratoxina presente no café. Os documentos de vistoria e análises laboratoriais serão custeados pelas empresas participantes do trâmite. Clique aqui e confira a íntegra do edital no site da câmara. Abaixo, fique com outras licitações selecionadas pelo Livre.jor para o #ComprasDaSemana*.

Tem café também no TCE-PR – o tribunal de contas paranaense também entrou na lista com edital para compra de 10 mil pacotes de café. Mais caro do que o licitado pela câmara, o custo unitário máximo indicado pelo tribunal é de R$ 12,95, e o lote pode chegar a R$ 129 mil.

Pelo edital, a “aquisição de café por esta Corte de Contas destina-se a servir todo o seu corpo funcional de servidores, membros e visitantes”. Ainda segundo o documento a bebida também “servida em treinamentos internos, cursos e reuniões”. A licitação será por meio de registro de preços, com isso, a quantidade a ser comprada pode ser inferior ao cotado.

Nas especificações da licitação, o tribunal aponta que o café deve ser “com predominância arábica, blendado com cafés robusta/conillon” e as empresas participantes do trâmite devem apresentar os laudos laboratoriais de Avaliação Microscópica e Análise Sensorial. Leia o edital no site do TCE-PR clicando aqui.

Câmara quer contratar cerimonial para eventos – depois de tomar um café, voltamos à câmara federal, em Brasília. Edital publicado nesta quinta-feira (16) no site da casa de leis prevê contratação de serviços de cerimonial, com fornecimento de mestre de cerimônias. Com duração de um ano, o contrato é para 180 horas regulares e 15 horas extraordinárias. O custo da diária, composta por quatro horas, pode chegar a R$ 1.023,75. Já a hora extra tem o valor máximo estipulado em R$ 167,19. Somadas as horas, a contratação de cerimonial pode custar R$ 48.576,60 para a casa.

Pelo edital, a contratação dos serviços são fundamentais para a coordenação de comunicação na realização de eventos, que tem como objetivo “fortalecer, divulgar e esclarecer, perante a sociedade, o papel institucional da câmara dos deputados”. Como sede do poder legislativo, indica o edital, a câmara “necessita fazer uso de normas cerimoniais protocolares específicas que permitam a seus membros zelar pelos princípios de convivência com os demais poderes”.

O documento de licitação especifica que a empresa contratada deverá fornecer profissional com diploma de curso superior, diplomado em curso de “mestre de cerimônia e locução para eventos”, com experiência de dois anos em “cerimonial público” e com capacidade de “improviso frente às mudanças repentinas de roteiro”. O serviço compreende fazer a locução de eventos, auxiliar a composição de mesas de trabalho e orientar a montagem e disposição de bandeiras, flores, livro de assinaturas e demais itens de solenidades ou cerimônias. Veja o edital no site da câmara.

#comprasdasemana – Seguimos a empreitada, aqui no Livre.jor – totalmente inspirada pelo Contas Abertas – de vasculhar editais e diários oficiais para registro das compras mais inusitadas, despropositadas e divertidas dos poderes públicos paranaenses. Ressaltamos que não há aqui qualquer apontamento ou indicação de suspeita de irregularidade nestes gastos, apenas resolvemos agrupar as compras pitorescas, que se destacam nas páginas dos editais públicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × dois =