Em um ano, governo pode gastar R$ 120 milhões em publicidade

O governo do Paraná definiu quais serão as agências responsáveis pelo contrato de publicidade que pode chegar a R$ 120 milhões pelo período de 12 meses, ou seja, até R$ 328 mil ao dia. Quatro das cinco empresas vencedoras da licitação, lançada em dezembro passado, são detentoras do último contrato de publicidade feito pelo estado. O extrato de contrato das empresas foi publicado no Diário Oficial da Indústria desta terça-feira (19).

As agências vencedoras do trâmite são: GPAC Comunicação Integrada; TIF Comunicação; Vivas Comunicação; Master Publicidade e Lua Branca Propaganda. As empresas serão responsáveis por atender a administração direta e indireta do poder executivo estadual, incluídas as empresas públicas, autarquias e sociedades de economia mista, e os serviços sociais autônomos.

A empresa paulista de publicidade, lua Branca, é a única com sede fora de Curitiba, segundo dados da receita federal, e a única que não atende o governo pelo contrato passado. A última licitação para publicidade foi de 2011, com valor de R$ 143,5 milhões. De lá pra cá, o governo tem feito aditivos nos contratos.

Conforme divulgação do Livre.jor, com base nos dados publicados pela Secretaria de Comunicação no Diário Oficial, nos seis primeiros meses deste ano foram gastos R$ 76 milhões, ou seja, R$ 420 mil por dia. Em 2016, o custo com publicidade institucional foi de R$ 131 milhões, cerca de 10% a mais que a cotação para o atual contrato.

No processo de licitação, todas as empresas que concorreram ao trâmite tiveram que inscrever um briefing de desenvolvimento de campanha de posicionamento do governo. O objetivo das agências no briefing, segundo o edital, era de “fixar um posicionamento que demonstre ao paranaense que o Governo do Paraná trabalha constantemente para o desenvolvimento do seu Estado e que esse desenvolvimento visa melhorar a qualidade de vida dos cidadãos, destacando as realizações diante do cenário nacional”. Clique aqui e confira o edital completo no site da secretaria.

O Livre.jor pediu à Secs os “briefings” inscritos no processo. Não é bem uma licitação de “compras”, mas está no páreo. Portanto, com esta abrimos mais um #ComprasDaSemana. Confira abaixo outros editais selecionados pelo Livre.jor.

PGE vai comprar impressora de até R$ 45 mil para imprimir colorido – o setor de engenharia da Procuradoria Geral do Estado (PGE) lançou edital para aquisição de uma impressora a laser colorida. Segundo o edital, cujo extrato foi publicado no Diário Oficial da Indústria do dia 14 de setembro, ao custo de até R$ 45 mil, a impressora deve atender a uma capacidade de 45 páginas por minuto, imprimir em uma qualidade de até 1200 DPI (o que é excelente qualidade de impressão, levando em consideração que a média de DPI de gráficas em materiais impressos é de 300 DPI) e com um tempo máximo de impressão de 9 segundos para a primeira página.

A justificativa para a aquisição, segundo o edital da PGE, é por conta dos “diversos trabalhos em processos e protocolos físicos onde são utilizadas as impressões coloridas, onde se destacam laudos e pareceres, plantas topográficas, mapas e fotos técnicas” do setor de engenharia. Ainda segundo a procuradoria, a escala de cinza na impressão não fornece a legibilidade necessária, uma vez que “não permitem ou dificultam sobremaneira a visualização e entendimento, prejudicando o trabalho desenvolvido pelo setor de Engenharia”.

A dimensão máxima da impressora cotada pela PGE, no entanto, é de A3, ou seja, o dobro de um papel no formato A4, que é o tamanho usual em ofícios de escritório e impressões em geral. A dimensão não privilegia a complexidade de detalhes de plantas, que por sistema de escala, muitas vezes, utiliza impressão por plotagem, em tamanhos maiores. Clique aqui e confira o extrato

Compra de R$ 13 mil em agendas e calendários– a Compagas vai gastar R$ 13,8 mil para aquisição de kits com mil agendas e mil calendários 2018. O valor é referente ao lance vencedor da licitação lançada pela estatal. Pelo edital publicado pela empresa, no Diário Oficial da Indústria de 18 de agosto, o trâmite poderia chegar a R$ 25,5 mil pelo lote.

Unitariamente, a agenda poderia chegar ao custo de R$ 17,14, e calendário ao valor de R$ 8,35. A empresa vencedora do certame é a Global Print, que após oferecer o valor máximo pela impressão, reduziu até a quantia final.

Os itens devem ser acondicionados na mesma embalagem, como um kit, é o que observa o edital da Compagas. No documento da estatal, no entanto, não consta a destinação dos itens e a justificativa de compra. Veja o edital completo no site da Compagas.

#comprasdasemana – Seguimos a empreitada, aqui no Livre.jor – totalmente inspirada pelo Contas Abertas – de vasculhar editais e diários oficiais para registro das compras mais inusitadas, despropositadas e divertidas dos poderes públicos paranaenses. Ressaltamos que não há aqui qualquer apontamento ou indicação de suspeita de irregularidade nestes gastos, apenas resolvemos agrupar as compras pitorescas, que se destacam nas páginas dos editais públicos.

One comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + quinze =