Empresas de segurança perderam 1.278 armas de fogo para bandidos em 2019

Por mais que atuem no ramo, as empresas de segurança privada no Brasil tiveram 1.278 armas de fogo afanadas dos seus arsenais só de janeiro a julho deste ano. O dado é do Departamento da Polícia Federal (DPF) e foi tornado público via Lei de Acesso à Informação. Foram 697 roubos e 581 furtos, na sua maioria de revólveres (1.181 unidades). Mas também foram capturados por bandidos carabinas (2), espingardas (69) e pistolas (26).

A maior parte do armamento tirado das empresas de segurança estava em uso nos postos de vigilância, pois apenas 315 foram roubadas ou furtadas de dentro dos negócios (24%). Hoje, no Brasil, existem 2.394 empresas com registro ativo junto ao DPF, que são vistoriadas pelo menos uma vez ao ano, segundo a Polícia Federal. Juntas, elas administram um arsenal de 249.939 armas de fogo.

São Paulo é o estado com mais armas nas mãos de agentes privados de segurança, com 63.726 unidades. Depois vem Rio de Janeiro (21.818), Minas Gerais (20.157), Rio Grande do Sul (17.111) e Paraná (15.474). Curiosamente, olhando para os canhões afanados em 2019, a ordem entre os estados é diferente: São Paulo (319), Rio de Janeiro (129), Ceará (99), Pernambuco (77), Rio Grande do Sul (74), Pará e Minas Gerais (56 cada). Acesse aqui o relatório elaborado pela DPF.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 + doze =