Governo do PR gastou R$ 792 mil em 2015 para saber reação dos paranaenses à propaganda oficial

Dos R$ 101,5 milhões gastos com propaganda oficial em 2015, R$ 792 mil pagaram pesquisas para medir “hábitos de consumo de mídia” dos paranaenses e a reação dos cidadãos às campanhas de publicidade do Governo do Paraná. Relação com o valor desses serviços, nome das empresas contratadas e objeto das pesquisas foi fornecida à equipe do Livre.jor pela Secretaria de Estado da Comunicação Social (Secs) via Lei de Acesso à Informação (atendimento 10529/2016). A íntegra da resposta é a imagem desta postagem.

Entretanto a resposta difere dos dados já publicados pelo próprio Executivo nas edições 9.504 e 9.637 do Diário Oficial do Estado, quando relatórios semestrais de gastos com publicidade oficial e propaganda institucional apontaram que só a Secs gastou R$ 802,3 mil com pesquisas – uma diferença pequena, de apenas dez mil reais. Nesta segunda-feira registraremos novos pedidos de informação ao Governo do Paraná, requisitando cópia digital do resultado dessas pesquisas – já que são pagas com dinheiro público, né?, e perguntando o porquê da diferença.

Também serão feitos mais três pedidos de informação para complementar os dados recebidos, pois não foi só o Executivo, por meio da Secs, que contratou pesquisas. A Sanepar, em 2015, de acordo cos relatórios publicados no diário oficial, gastou R$ 1 milhão com o serviço; a Copel, R$ 140 mil e a UEG mais R$ 38,4 mil. Pediremos a eles o mesmo que foi requisitado ao Executivo: discriminação dos contratos e cópia dos relatórios finais das pesquisas.

Por ora, fica a informação que, para saber os “hábitos de consumo de mídia” dos paranaenses, em 2015, a agência Vivas recebeu R$ 334,8 mil. Pela resposta oficial, entretanto, deduz-se que a tarefa foi executada pela Paraná Pesquisas via teleatendimento. A mesma agência teria cobrado R$ 212 mil para medir o impacto das campanhas publicitárias “Nota Paraná”, “4ª Economia” e “Paraná Segue em Frente” – dessa vez alinhada com a Cota Pesquisas de Mercado. Pra avaliar o desempenho de outras cinco peças de propaganda, a GPAC teria recebido R$ 193,5 mil – e aqui novamente há referência à Cota Pesquisas de Mercado. Já a Radar Inteligência, com a Opus, teriam ficado com R$ 52 mil para pesquisa semelhante, com objeto genérico, que não especifica se alguma campanha específica foi analisada.

Vale registrar que a princípio não há nada irregular em gastos dessa espécie, desde que sejam feitos em prol do interesse público. Mas a informação, do jeito que foi enviada pelo Governo do Paraná, obviamente tem lacunas que buscaremos preencher com novos pedidos via LAI. Por ora, para refrescar a memória, você pode reler “Gastos com propaganda oficial no Paraná voltaram aos R$ 100 milhões em 2015” e “Dos R$ 101,5 milhões em propaganda do Paraná, 75% foram para TVs, jornais e rádios” – apurações do Livre.jor sobre gastos com propaganda no Paraná em 2015.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete + 15 =