Governo reconhece necessidade de importar energia elétrica da Argentina e do Uruguai

O Ministério de Minas e Energia publicou no Diário Oficial desta quarta-feira (20) reconhecendo a “necessidade de importação de energia elétrica da República Argentina e da República Oriental do Uruguai, de forma excepcional e temporária até 31 de dezembro de 2018”. Segundo a publicação, a importação será por ofertas semanais.

Nesta terça-feira (19), o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) afirmou que em setembro as chuvas estão abaixo da média, e que para os próximos dias “previsão de chuva fraca a moderada nas Bacias da Região Sul e pouca ou nenhuma chuva na região Sudeste/Centro-Oeste”.

Para o comitê, a situação não é agravante de tal forma que seja recomendada a geração termelétrica, cujo preço é mais caro. No entanto, alerta justamente para situação de redução de armazenamento para os próximos dois meses para os principais reservatórios.

Na portaria do ministério de hoje, assinada pelo ministro interino Paulo Pedrosa, afirma-se que a importação da Argentina será pelas estações “Conversoras de Garabi I e II (2 x 1.100 MW) localizadas no Município de Garruchos e da Conversora de Uruguaiana (50 MW) no Município de Uruguaiana, no Estado do Rio Grande do Sul, fronteira com a Argentina”.

Já a importação do Uruguai será pelas estações “Conversora de Rivera e da Conversora de Melo, ambas naquele país, na fronteira com o Brasil”. Clique aqui e confira a íntegra da portaria no Diário Oficial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 1 =