Governo se atrapalha, exonera Rossoni da Casa Civil, e volta atrás no decreto seguinte

O clima anda tão confuso lá em Brasília que Valdir Rossoni, do PSDB, foi exonerado hoje do cargo de chefe da Casa Civil do governador Beto Richa (PSDB) – pra ser “recontratado” logo em seguida. Reparem na imagem: o decreto estadual 3912 devolve Rossoni para a Câmara Federal, onde o deputado estava até assumir a função na gestão do colega tucano. Em tese, a exoneração habilitaria que Rossoni votasse, neste domingo (17), na apuração do impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT). Mas algo deu errado e a imprensa oficial “rodou” um suplemento, às pressas, da edição 9678 do Diário Oficial do Estado. A única coisa ali é o decreto estadual 3913, que revoga o anterior e mantém Rossoni na Casa Civil.

No meio dessa bagunça, Rossoni postou um vídeo no YouTube em que aparece lá em Brasília, com o Congresso Federal ao fundo, ao lado do suplente Paulo Martins, agora no PSDB. “Devido a um imblóglio que pode surgir se eu reassumir a minha vaga na Câmara Federal neste momento, e para garantir o voto do PSDB a favor do impeachment, vou confiar ao deputado Paulo Martins a missão de votar em meu nome e em nome dos paranaenses a favor do afastamento da presidente Dilma. Acato um pedido do presidente do PSDB Nacional, Aécio Neves, e dos deputados que compõem a nossa bancada. Para não corrermos o risco de perder um voto que pode ser decisivo para apagar essa página negra da história do Brasil acatei a orientação”, justificasse o chefe da Casa Civil, que hoje, pelo visto, está despachando oficialmente do Planalto Central.

160415 Rossoni é exonerado - por engano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − 8 =