Alep vai gastar até R$ 673 mil em painel digital

Lembra do edital de sistema de gestão de atividades da sessão plenária de R$ 2,3 milhões que a Alep cancelou em julho do ano passado após repercussão na imprensa? Pois é, parece que parte dele vai sair do papel. A Alep lançou edital para a compra de painel tipo VideoWall Multimídia, composto por mais de trinta telas de 46 polegadas ao custo máximo de R$ 673 mil. A publicação consta no Diário Oficial desta quinta-feira (19).

De acordo com o edital, as telas do novo equipamento da casa de leis seguira a distribuição de “8 (oito) monitores na horizontal por 4 (quatro) monitores na vertical”. Nas medidas de 1,13 metros por 0,71 metros para telas de 46 polegadas, o novo telão terá 9 metros de largura por 2,8 metros de altura.

edital

As diferenças desse painel par o edital de R$ 2,3 milhões? Além de ser 30% do valor do edital passado, o novo processo não contempla sistema de votação e registro biométrico, não terá as 57 terminais para acompanhamento e interação de todos os deputados, nem módulo de controle e de gravação ou ainda as 12 parcelas de manutenção.

Na prática, o novo painel será…um novo painel, com mais de 30 telas de 46 polegadas – ao custo unitário de até R$ 9.066 – adequados em uma estrutura de suporte de custo de até R$ 64.713, com quatro gerenciadores que podem custar até R$ 152.062, rodando um software de R$ 23.843. Soma aí R$ 40 mil de instalação, R$ 32 mil para afinar a regulagem e mais R$ 9 mil para treinar o pessoal da Alep. Confira a íntegra dos equipamentos e serviços a serem contratados bem como o valor máximo para cada um no edital no site da Alep.

Com essa abrimos a primeira #ComprasDaSemana de 2017, um ano repleto de editais, contratações e acompanhamento sistemáticos dos diários oficiais, com direito a lupa e pente fino. Confira as outras compras.

Concurso para defensor público custará R$ 913 mil – sob o regime e dispensa de licitação a Defensoria Pública contratou a Fundação Carlos Chagar (FCC) para realização do terceiro concurso público para carreira de defensor público. E estão confiantes na grande procura pelo concurso. Pelo contrato, “o cronograma de atividades será planejado prevendo uma expectativa de 8.000 (oito mil) candidatos inscritos”.

receita_loa_2017

O custo do processo seletivo pelo contrato será de R$ 913.227,00, cerca de 1,6% da receita em repasses do executivo prevista pela LOA para o órgão, de R$ 57 milhões para 2017. A publicação do extrato do contrato consta no Diário Oficial da Indústria N.º 9.854, e o contrato, N.º 23/2016, está disponível no site da Defensoria Pública.

Pesquisa e divulgação de serviços públicos podem custar até R$ 2,1 milhões – a empresa de tecnologia do governo estadual, a Celepar, publicou no Diário da Indústria desta quinta-feira (19) edital para contratação de “empresa para prestação de serviços de solução global para implantação, operação da Central de Monitoramento dos Serviços Públicos”. A contratação terá o teto de R$ 2,16 milhões.

Pelo edital, a contratação visa “promover ações de interação com os cidadãos, como coleta de dados e divulgação de campanhas de utilidade pública, através da plataforma de URA (Unidade de Resposta Audível), telefone (fixo e móvel) e e-mail. Abrangendo todos os recursos necessários à sua operacionalização, incluindo instalações físicas, mobiliário, pessoal, treinamento, telefonia, equipamentos, aplicativos (hardware e software) e os demais recursos necessários à prestação dos serviços”.

De acordo com a publicação, estão no valor total a contratação de 8 mil divulgações telefônicas mensais, ao custo unitário de R$ 4,16 reais; 8 mil coletas de dados ao custo unitário de R$ 13,35, 250 mil URA (Unidade de Resposta Audível), ao custo unitário de R$ 0,19 e 100 mil e-mail’s, ao custo unitário de R$ 0,02. O valor total mensal para os serviços não poderá ultrapassar a R$ 189 mil.

R$ 790 mil em sanduíches e marmitas para o TJ-PR – encerrou nesta quinta-feira (19) prazo para participar da concorrência para servir sanduíches, refrigerantes e marmitas para o Tribunal de Justiça do Paraná. Ao teto mensal de R$ 65.945,00, ao final de doze meses, o valor arrecadado com a venda dos alimentos poderá ser de R$ 791.340,00.

tj_

E o menu? Vai muito sanduíche e marmita aí. Ao mês, o edital especifica 4.500 unidades, em distribuição igual, de sanduíches em pão tipo francês, de forma e integral, todos com 90 gramas, 5oo refeições tipo hot box e 2.500 marmitex (com ao menos um tipo de proteína), e 150 garrafas de 2 litros de refrigerante. Todo mês, nos endereços dos TJ em Curitiba. Ficou curioso para conferir o menu completo, então veja lá no site do Tribunal de Justiça.

A coluna #ComprasDaSemana é totalmente inspirada pelo Contas Abertas – de quem copiamos a ideia de vasculhar editais e diários oficiais para registro das compras mais inusitadas, despropositadas e divertidas dos poderes públicos paranaenses. Ressaltamos que não há aqui qualquer apontamento ou indicação de suspeita de irregularidade nestes gastos, apenas resolvemos agrupar as compras pitorescas, que se destacam nas páginas dos editais públicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + 12 =