Mais de 400 pênis são reimplantados por ano, e no SUS!, aqui no Brasil

Dá pra ouvir o gemido aqui do outro lado do computador: de 2008 a 2015, foram realizados 3.451 procedimentos hospitalares na rede de saúde pública para reimplante de pênis – o órgão reprodutor masculino – em todo o Brasil. Disso tudo, 588 casos foram urgências. Por ano, no país, 431 tentativas de reconectar a peça ao corpo dos ex-donos foram praticadas. Não há dados no Datasus sobre o porcentual de sucesso dessas tentativas – #ficaadica para um livro reportagem. Mas há histórias assustadoras dos casos na internet: confira aqui uma relação de reportagens sobre o “assunto”, selecionada pelo Google Notícias.

No ranking dos estados brasileiros onde mais se realizaram cirurgias eletivas (planejadas) para reimplante de pênis estão São Paulo (1.371), Minas Gerais (437), Rio de Janeiro (228), Bahia (135), Pernambuco (88) e, só em 7º lugar, o Paraná (56). Dos 3.451 procedimentos de 2008 a 2015, 2.851 foram eletivos. Agora, se você quer saber onde pênis correm mais risco de serem extirpados, talvez deva olhar para os atendimentos de urgência, né? Aqui Minas Gerais assume a ponta, com 213 casos. Seguido por São Paulo (166), Rio Grande do Sul (41), Bahia (39) e Rio de Janeiro (34). O Paraná, ufa!, aqui cai para a 13ª posição: só 5 casos de urgência nesses anos.

E agora que tal conferir 10 casos famosos de outros tipos de reimplantes bem sucedidos? Link para a Hyperscience  – um Buzzfeed só com conteúdo de divulgação científica. Lá, o exemplo é de um homem não-identificado, morador do Alasca, que depois de ele e a namorada discutirem, partiram para um suposto amasso de reconciliação. Ele se deixou amarrar na cama – péssima ideia, colega! – e foi quando a mulher cortou-lhe o pênis e depois deu a descarga. Boazinha, a namorada o soltou e conduziu o mutilado ao hospital. Não é que o cara fugiu de lá, voltou em casa, chamou a polícia, quebrou-se o vaso sanitário e se recuperou o dito cujo?! De novo, esse link.

Disfunção erétil
Não tem nada a ver com o tema principal, mas se você chegou até aqui pode estar interessado em conduzir sua curiosidade pelo tortuoso ambiente da disfunção erétil. Há um bom conjunto de dados e referências sobre o tema neste artigo aqui, publicado na Revista Brasileira de Medicina. “No Brasil, um estudo revelou que a disfunção erétil acomete 45,1% dos homens adultos, em algum grau. Estima-se que, atualmente, cerca de 25 milhões de homens brasileiros com mais de 18 anos de idade sofram de algum grau de disfunção erétil e que 45% destes tenham disfunção moderada ou grave, mostrando que essa condição deve ser considerada um problema de saúde pública importante em nosso meio”, dizem os pesquisadores.

Atenção!
Todos os dados apresentados nesta notícia foram obtidos em fontes oficiais. Também garantimos que não foram machucados, torturados ou forçados a dizer nada – além do que já falam por si mesmos. #acreditesequiser #1deabril #livreLABesolto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + 19 =