Receita estadual passará por “pente fino”; Seap vai auditar veículos oficiais

150323 seap deto

Suspeita de irregularidades nos contratos de conserto de viaturas do governo do Paraná e nas receita estaduais de Londrina e de Curitiba motivaram, nos últimos dias, várias prisões preventivas, apreensão de documentos e de computadores. O Jornal de Londrina publicou um resumo dos casos.

Interpelado sobre as investigações movidas pelo Gaeco (Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado, do Ministério Público do Paraná), o governador Beto Richa (PSDB) disse que apoiará a elucidação dos casos, mesmo contra pessoas do “círculo social” dele.

Referia-se, provavelmente, ao empresário Luiz Abi, citado no caso das oficinas, que é seu parente distante, um “primo”; e ao ex-inspetor geral da Receita Estadual, Márcio de Albuquerque Lima, com quem já dividiu o cockpit em corridas automobilísticas.

RECEITA ESTADUAL
De prático, dois dias atrás, Richa solicitou que a Controladoria Geral do Estado “checasse a ficha” das pessoas que trabalham na Receita Estadual. O despacho foi publicado hoje, na edição 9.417 do Diário Oficial do Estado. O documento determina a “apuração imediata a existência de antecedentes criminais dos servidores lotados na coordenação” do órgão.

A CGE deve também levantar se há procedimentos investigatórios e/ou administrativos abertos contra essas pessoas. O prazo para que a ação ser concluída é de 48 horas. Se formos considerar a data do pedido verbal, esses dados devem estar disponíveis amanhã. Se valer o documento, na quarta-feira.

VEÍCULOS OFICIAIS
Diferente do despacho anterior, que cita diretamente as notícias sobre as investigações do Gaeco, a resolução 885/2015 da Secretaria Estadual de Administração e Previdência não faz referência direta ao caso das oficinas usadas para consertar os veículos oficiais – agora sob suspeita.

Contudo, determina auditoria geral no Departamento de Transporte, ligado à pasta. Publicado na mesma edição do DOE, o documento cria um “grupo de estudos de controladoria interna”, “para proceder auditoria com a finalidade de verificar todos os contratos de prestação de serviços no âmbito do Departamento Estadual de Transportes Oficiais (Deto)”. Aqui o prazo é de 30 dias.

Para ler os diários oficiais, vá por aqui:  https://www.documentos.dioe.pr.gov.br/dioe/localizar.do

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 3 =