Quem paga tarifa para entrar em terminais e estações-tubo do sistema de transporte coletivo de Curitiba e não encontra ônibus para embarcar (por conta de greves como a desta terça-feira ou mesmo por atrasos cotidianos) tem direito a receber de volta o dinheiro pago pelo serviço não prestado, afirma o Procon-PR.

Uns poucos dias após ser convidado a fazer parte do Livre.jor, uma ideia me veio à cabeça: usar a Lei de Acesso à Informação (LAI) para pedir o protocolo de intenções firmado, nos anos 1990, entre o governador Jaime Lerner (1995-2003) e a montadora francesa Renault. Parênteses: o documento, que viabilizou a instalação da montadora…