Compras da agricultura familiar para assistência social caíram no Paraná

Caíram bruscamente as compras feitas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), no Paraná, na categoria Compra com Doação Simultânea (CDS), ao longo da década. Em 2018, foram comprados de cooperativas e associações da agricultura familiar 890 toneladas – o equivalente a 5% do adquirido em 2010, topo da série histórica, quando a Conab comprou 16,7 mil toneladas. A informação consta em resposta do governo federal a pedido de informação. A CDS está relacionada diretamente às políticas de assistência social.

Comparando nacionalmente 2011 com 2018 – resultado mais atual com o pico da série histórica – houve movimento semelhante. Comprou-se apenas 10% da agricultura familiar, nesta categoria, no ano passado, do que o máximo registrado pela Conab para a década. É importante expor esses dados, pois eles necessitam de explicação – que nós, neste momento, não temos. Mas melhor que esperar é problematizar juntos.

A hipótese primeira é que os números podem indicar um desabastecimento da rede socio assistencial e de equipamentos públicos de segurança alimentar e nutricional, como restaurantes populares e cozinhas comunitárias. São eles que recebem os produtos agrícolas oriundos da Compra com Doação Simultânea (sacaram a sigla agora?).

Ou essa linha de apoio proveniente do governo federal para os Estados e Municípios mudou de 2013 para 2014, com outra política pública suplementando a demanda da segurança alimentar. Ou caiu a demanda. Ou simplesmente fechou-se a torneira, alterando-se as prioridades do gasto público. A conferir. Alguma ideia? Ou indicação de fonte? Manda por e-mail para contato@livre.jor.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × um =