Copel quer comprar R$ 1,5 milhão em vouchers da Netflix

Com wi-fi liberado e Netflix no “vascão”, quero ver galera dizer que não viu Wagner Moura estiloso de bigode na Colômbia ou ainda o fenomenal Beasts of no Nation. Não está entendendo nada? Então confira os editais que copilamos nos últimos Diário Oficiais.

Não chega a um filme, mas ao menos rende um capítulo da série #ComprasDaSemana da produção independente do Livre.jor. Descaradamente inspirada pelo Compras Abertas, a empreitada da coluna Compras resume em vasculhar editais e diários oficiais para registro das compras mais inusitadas, despropositadas e divertidas dos poderes públicos paranaenses.

Cabe ressaltar que não há aqui qualquer apontamento ou indicação de suspeita de irregularidade nestes gastos, apenas resolvemos agrupar as compras pitorescas, que se destacam nas páginas dos editais públicos.

R$ 1,5 milhão em vouchers da Netflix – se não acabar a luz e nem cair a internet vai ter filme 24 horas por dia. O acesso ao serviço de entretenimento já tá garantido. A Copel Telecomunicações vai empregar R$ 1.538.985,00 milhão em vouchers da Netflix, a gigante do mercado de provedores de filmes e séries de televisão via streaming.

No documento de indicação da compra a empresa não aponta quantidade. Mas pelo preço do plano básico, com direito a um ponto, conforme indicado no site da empresa de entretenimento, a R$ 19,90 mensal, daria para adquirir 77 mil assinaturas. Já no plano Padrão, com direito a dois pontos, seriam 67 mil assinaturas para 134 mil pontos. O suficiente para a população de Pinhais, município conurbado com a capital, e ainda sobrariam pontos.

Não foi aberto um pregão, pois a estatal vai comprar direto da empresa global, por isso publicou no Diário Oficial da Indústria desta quinta-feira (7) a Justificativa de Inexibilidade de Licitação. Procuramos no site da estatal os documentos referências mas não encontramos. Portanto, o Livre.jor pediu a Copel cópia do memorando com a justificativa para a compra, conforme indicado na publicação de hoje, além de indicação da empresa sobre o destino dos vouchers.

Wi-fi “bala” no Detran – Se você tem alguma solução de rede wi-fi, pode propor para o Detran, que está disposto a pagar R$ 1.423,350,80 milhão na “aquisição de solução de rede wi-fi pra vistoria eletrônica”. A indicação da compra consta no Diário Oficial da Indústria Edição nº 9730.

Claro, não basta chegar lá com um modem de uma operadora qualquer e achar que vai sacar o milhão.

O edital cobra uma serie de especificações de tendimento, além de equipamentos, como: duas controladoras de rede sem fio, onde cada controladora deverá possuir no mínimo, licenças para 300 (trezentos) pontos de acesso sem fio, 150 (cento e cinquenta) pontos de acesso sem fio gerenciado interno (Wi-Fi Access Point – AT), 10 (dez) pontos de acesso sem fio gerenciador externo (Wi-Fi Access Point) e outras coisas mais.

De qualquer forma, vai ter gente no Tarumã torcendo para que a senha da rede do Detran seja 1234.

Botar água no feijão – É, com o preço de um dos elementos básicos do prato brasileiro, o feijão, lá nas alturas, com direito até ao zeramento de impostos de importação pelo Governo Federal, pode ter até quem questione o poder público adquirindo o alimento. Mesmo assim, no Diário da Indústria N.º 9.728, a Secretaria de Estado da Administração e Previdência (Seap) não se intimida com isso e lança o aviso de licitação tipo pregão eletrônico para “futura e eventual aquisição de Feijão” ao valor máximo de R$ 1.297.416,08 pelo edital total para 240 toneladas de feijão tipo preto e carioca. Dá um caldo!

One comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × um =