Detran vai gastar até R$ 50 mil em placas para salas, guichês e avisos

Sala de reunião, retire sua senha, chefia, empurre, desligue o celular durante o atendimento, ambiente climatizado, entre sem bater. Essas são algumas das frases a serem impressas em 4.493 placas de identificação que serão confeccionadas a pedido do Detran. O custo máximo da licitação pelos lotes pode chegar a R$50.927,96.

A maior parte das placas, 880 unidades, será para identificar atendimento preferencial. Na sequência, 263 serão para “acesso restrito a funcionário”, e 215 para “atendimento ao público das 08hr às 14hr”.

Os preços, de acordo com o edital, variam pela dimensão da placa e por quantidade. O tamanho A3, equivalente a duas vezes o tamanho de uma folha de ofício, pode chegar ao custo de R$ 39 por placa. O A4, que é o tamanho de um papel ofício, pode chegar ao custo de até R$ 7,87 a unidade. Meia página, no entanto, custaria o dobro, segundo o edital, cerca de R$ 15,5 por placa.

A diferença, além da dimensão, estaria na quantidade. As em A4 serão 3,2 mil unidades, e as com a metade de um A4 serão 261. Quanto mais unidades, menor é o preço unitário. Veja no Diário Oficial o extrato de publicação do edital.

Mais de 600 televisores LED/LCD de 43 polegadas – edital publicado pelo Departamento Estadual de Administração de Material (Deam) do governo estadual prevê a compra de 604 aparelhos de televisão. A licitação será por registro de preço, e indica total máximo a ser adquirido pelo governo ao longo de um ano. O valor da compra pode alcançar a quantia de R$ 1.134.916,00.

Na justificativa, o Deam aponta que a compra atende ao sistema socioeducativo e no auxílio de medidas privativas e restritivas de liberdade nos Centros de Socioeducação (Censes) e Casas de Semiliberdade. Com isso, os mais de 600 aparelhos são apontados como “essenciais para auxílio nas atividades das Unidades”. Ainda segundo o edital, os equipamentos atuais em uso “estão obsoletos e muitos já não funcionam mais”. Contudo, apesar da justificativa do edital apenas apontar uso no Censes e casas de semiliberdade, o mesmo documento indica vários outros órgãos como destinatários dos novos aparelhos, como a biblioteca pública do Paraná, a polícia ambiental, o hospital universitário da Unioeste e a agência de defesa agropecuária (Adapar).

Dividido em dois lotes – 150 para microempresas e 454 para ampla concorrência – cada unidade pode chegar ao valor de R$ 3,1 mil. Confira no Diário Oficial da Indústria do dia 25 de outubro a publicação do extrato do edital.

Seed vai comprar 25 kits com câmera e impressora 3d – desde 2005 a secretaria de educação do Paraná tem encabeçado projeto junto às escolas públicas de ampliação e discussão do uso de tecnologias educacionais. Em 2005, a Seed enviou às escolas participantes do projeto kits com tablets, roteadores e cartões de memória para uso dos alunos. Nesta etapa do projeto, intitulado Contectados 2.0, o governo quer agora fornecer a algumas escolas laboratórios de produção 3d.

Para isso, a Seed lançou licitação para a compra de 25 kits para formação de laboratório de produção. Serão comprados impressoras 3D, câmera e gravador digital, fone de ouvido e monitor de referência de áudio. O custo do lote total pode chegar a R$451.375,00. De acordo com o site da secretaria, são 500 as escolas participantes em várias escolas do Paraná. Com isso, a licitação do governo atenderá apenas 5% do total de escolas.

A definição dos locais para os laboratórios, segundo o edital, levou em conta “níveis de carência/envolvimento com a tecnologia em cada uma das escolas, levantamento das necessidades e possibilidades”. Dos kits, que podem chegar ao custo de até R$ 18 mil a unidade, 20% serão usados em escolas da capital, um kit será para a região metropolitana (Campo Magro) e o restante para outras escolas no interior do Paraná. Clique aqui e confira o extrato de publicação do edital no Diário Oficial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − cinco =