Em doze anos, 220 mil armas foram recolhidas na Campanha do Desarmamento

Desde 2004, a Polícia Federal e o Ministério da Justiça recolheram por meio do Programa de Desarmamento cerca de 220 mil armas em todo o território nacional. O número de equipamentos recolhidos é maior que o de armas apreendidas pela Polícia Federal desde 1990, que totaliza 186 mil armas.

Nos doze anos do programa, foram pagos R$ 55 milhões em indenizações pelo recolhimento das armas. Os valores pagos para quem entregar os equipamentos variam de acordo com o porte e tipo da arma, indo de R$ 100 a R$ 450 por unidade.

A tabela com os valores reajustados em 2012 pela portaria 2.969 do Ministério da Justiça especificando tipo de arma e indenização pode ser acessada aqui. Os dados são da Polícia Federal e do Ministério da Justiça, em resposta ao pedido de informação do Livre.jor.

Mesmo fora do eixo publicitário do Governo Federal, segundo o Ministério da Justiça, que coordena o projeto desde maio e 2011 após oito anos sob orientação da Polícia Federal, continua em vigência com mais de dois mil postos de recolhimento espalhados por todo o país.

 

Recolhimento de armas X mortes – comparando dados de recolhimentos com o de número de óbitos por arma de fogo entre 2004 e 2014, conforme dados de mortalidade publicados pelo DataSus, estados como São Paulo e Pernambuco apresentam um crescimento de entrega de equipamentos e uma redução de mortes por armas de fogo. Já no Paraná, houve uma redução de entrega de equipamentos e um leve aumento de número de mortes. Abaixo é possível conferir os dados.

As informações contemplam apenas os da Campanha do Desarmamento e do DataSus. Não estão aí os dados de portes e registros de armas, gerenciados pela Polícia Federal por meio do sistema Sinarm, que indicam 650 mil registros ativos de armas hoje no país. No Paraná, são 45 mil registros: 28 mil de pessoa física; 274 de segurança pública; 13 mil de segurança privada e 3 mil de órgão públicos.

Tipos de armas – desde 2009, foram recolhidas mais de 130 mil armas. Destas, segundo o Ministério da Justiça, cerca de 50% são de pequeno porte, sendo 66 mil revólveres, 28 mil espingardas, 13 mil pistolas e 9 mil garruchas, dentre outros. Na lista, constam armas de grosso calibre e até do exército, como metralhadoras (21), submetralhadoras (21), canhões (8) e até morteiros (3). Confira o infográfico abaixo.

infografia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × um =