Ratinho Júnior e Portal da Transparência divergem sobre obras em rodovias

No dia 7 de maio, foi anunciado pelo governo do Paraná que 9,8 mil quilômetros receberão manutenção nos próximos três anos. Com pompa, Ratinho Júnior (PSD) disse ter herdado essas rodovias “sem nenhum tipo de manutenção”. Que teve que “fazer um caixa, diminuir custos e cortar privilégios para que comece a sobrar dinheiro para obras de infraestrutura”, afirmou, conforme registro da Agência de Notícias do Paraná. Isto custaria R$ 2 bilhões.

O Portal da Transparência apresenta dados diferentes, pois lista 1.892 obras de conservação rodoviária já contratadas pelo Paraná, em 381 municípios. Destas, 1.590 (84%) finalizadas de 2011 até 2018, num total de 31,7 mil quilômetros. As outras 302 ações, com término previsto para 2019 e 2021, acrescentam outros 5,2 mil quilômetros à relação, num total de 37 mil km. O valor total dessas obras, segundo o governo, é de R$ 2,1 bilhão. Coincide com a meta colocada por Ratinho Júnior à própria gestão.

A porca torce o rabo quando esses dados são analisados ante o Mapa Rodoviário do Paraná – uma publicação anual que atualiza a situação da malha viária do Estado. Em 2019, o mapa foi publicado na edição 10.418, do dia 17 de abril. Ali se vê que a malha total é de 120 mil quilômetros, sendo a maioria de rodovias municipais não pavimentadas – 97,8 mil km (80%) – comumente chamadas de “estradas rurais”. Suspeitas de corrupção na manutenção destas, no Programa Patrulha do Campo, resultaram na detenção provisória do ex-governador Beto Richa (PSDB).

Pelo que disse Ratinho Júnior, ele pretende melhorar as rodovias estaduais, que somam 12,1 mil quilômetros. Se concluir os 9,8 mil km em três anos, terá revisado 80% desse tipo de via. O governador atribui às más condições destas vias a ocorrência de acidentes nos quais “infelizmente muitas pessoas perderam suas vidas”. No anúncio, não mencionou a duplicação das rodovias. Segundo o Mapa Rodoviário, apenas 374 km já têm pista dupla – uma medida eficiente de segurança, no sentido que reduz o número de ultrapassagens perigosas.

Considerando as obras já contratadas, e excluindo da relação referências a vias rurais e não-pavimentadas, para se ater às rodovias propriamente ditas, encontra-se ainda assim o valor de 36,8 mil quilômetros. Ou seja, equivaleria a dizer que nos oito anos que antecederam a gestão Ratinho Júnior a malha estadual pavimentada, de 12,1 mil km, passou três vezes por reparos em toda a sua extensão. Ainda que o Portal da Transparência contenha um erro de classificação, o valor é grande para sustentar a afirmação que as vias estariam “sem nenhum tipo de manutenção”. E constam lá várias outras políticas públicas referentes a estradas e à pavimentação, mas só uma fala em rodovias.

Ou o atual governador está fazendo uma grave denúncia, ou falta apuro no discurso oficial. Fizemos o download dos dados e, em três anos, com a relação das obras executadas, será possível comparar se há coincidências entre os trechos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × três =