Vereadores ignoram e-mails com perguntas sobre moção de repúdio a “Pornô Gospel”

Câmara Municipal de Curitiba/Divulgação
Tiago Gevert (PSC), autor da moção de repúdio, um dos que ignorou nosso pedido

Nenhum dos 21 vereadores que assinaram ou aprovaram moção de repúdio contra o espetáculo teatral “Pornô Gospel” respondeu a e-mail enviado pelo Livre.jor em que pedimos manifestações sobre o assunto. As mensagens, individuais, foram disparadas na terça passada (7) e pediam resposta até a sexta (10), deixando claro que elas seriam publicadas em nosso portal.

Enviamos e-mails a Tiago Gevert (PSC, autor da proposta de moção de repúdio), Carla Pimentel (PSC), Tito Zeglin (PDT), Mestre Pop (PSC), Cristiano Santos (PV), Chico do Uberaba (PMN), Ailton Araújo (PSC), Mauro Ignácio (PSB), Geovane Fernandes (PTB), Tico Kuzma (Pros), Cacá Pereira (PSDC), Noemia Rocha (PMDB), Rogério Campos (PSC), Edson do Parolin (PSDB), Colpani (PSB) e Jorge Bernardi (Rede).

Todos eles subscrevem o texto.

Também receberam nossa mensagem Zé Maria (SD), Sabino Picolo (DEM), Dona Lourdes (PSB), Chicarelli e Aldemir Manfron (PP), que votaram em favor da aprovação.

Claro que estávamos curiosos em ouvir os vereadores a respeito de suas impressões sobre “Pornô Gospel”. Mas, antes disso, queríamos testar o funcionamento de um canal de comunicação que deveria colocar o cidadão em contato direto com os vereadores – que, vale lembrar, são pagos com dinheiro público e, portanto, devem satisfações de seus atos.

O resultado, como se vê, é péssimo.

Como jornalistas, seria fácil buscar as opiniões via assessoria de imprensa de cada gabinete. Mas, no Livre.jor, preferimos usar as ferramentas à disposição de qualquer cidadão.

Diante disso, estamos curiosos: você já precisou fazer contato com um vereador? Conseguiu? De que forma? Por e-mail? Telefone? Conte para nós, em contato@livre.jor.br.

Leia, a seguir, a íntegra do e-mail que enviamos aos vereadores.

 

“Caro vereador,

“Sou jornalista do portal Livre.jor, especializado em fiscalização do poder público via canais disponíveis à população em geral (como este e-mail).

“O senhor aprovou e assina moção de repúdio contra o espetáculo teatral ‘Pornô Gospel’.

“Por conta disso, pergunto:

“. O senhor assistiu ao espetáculo para formar sua opinião a respeito?

“. De que forma a exibição de um espetáculo em tom de sátira cerceia ou ofende o direito de liberdade de fé?

“. O senhor é favorável à existência de uma entidade que avalie espetáculos e publicações antes de sua exibição ao público?

“. Atores que trabalham em “Pornô Gospel” registraram boletim de ocorrência após relatarem ameaças por conta do conteúdo da peça. O que a senhor tem a dizer a eles a respeito?

“As respostas serão publicadas no Livre.jor.

“O prazo final para recebê-las é sexta-feira (10), às 18h.

“Agradeço antecipadamente.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − dois =