Urbs registra um ônibus com problemas nos freios a cada dois dias

Jaelson Lucas / SMCS

Entre os meses de janeiro e novembro de 2015, a Urbs registrou 168 falhas nos freios de ônibus que operam no transporte coletivo de Curitiba. Todos esses casos geraram a interrupção da viagem dos coletivos. Neste período, 5.675 viagens de ônibus que operam no transporte coletivo urbano da cidade foram interrompidas por problemas mecânicos diversos. Com isso, Curitiba tem uma média diária de 17 ônibus que precisam suspender seus trajetos por falhas mecânicas.  Diariamente, os 1.368 veículos que compõem a frota operante da cidade realizam cerca de 21 mil viagens.

As falhas mais comuns registradas nos veículos são problemas na carroceria. Ano passado, esta categoria foi responsável por 38% dos problemas registrados. Atrás, seguem falhas no motor (24%); no sistema elétrico (10%); problemas com os pneus (6%).

Últimos anos

Desde 2012 as empresas que operam o transporte coletivo de Curitiba não compram novos ônibus. Mesmo que o contrato tenha determinado uma vida útil de 10 anos para os veículos e uma idade média da frota de 5 anos, as operadoras se amparam em uma decisão judicial que as desobriga da compra de novos veículos, como o Livre.jor já mostrou. Apesar deste cenário, os casos de interrupção de viagens têm diminuído nos últimos anos. Em 2012 foram 8.398; em 2013, 7.281; em 2014, 5.717; e no período de 11 meses em 2015 foram 5.675.

Nota do Setransp enviada ao Livre.jor 

Sobre a reportagem publicada no Livre.jor – de problemas que causaram interrupções de viagens nos ônibus de Curitiba –, o Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) considera importante que se faça a comparação justa entre os mesmos períodos. De janeiro a novembro, as empresas de ônibus realizaram cerca de 8 milhões de viagens. Portanto, as 5.675 viagens interrompidas representam 0,07% do total.

A eficiência média operacional do sistema, isto é, a comparação entre as viagens programadas e realizadas, fica em 99,2% – a média no Brasil é de 90%.

Além disso, as empresas de ônibus vêm buscando a excelência ano a ano. Como a própria reportagem nota, o número de viagens interrompidas cai desde 2012.

O Setransp está à disposição para prestar esclarecimentos sempre que for solicitado.

(Matéria atualizada em 20/01, 17:50h)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 3 =