Livre.jor aumentou em 90% sua produção como agência de notícias em 2018

Foi por pouco que em 2018 os jornalistas do Livre.jor não dobraram sua produção como agência de notícias: 76 reportagens das moscas foram publicadas na imprensa regional e nacional no ano passado, ante 40 em 2017 – um aumento de 90%. Agência Pública, Gazeta do Povo, Contraponto, The Intercept Brasil e UOL foram os parceiros do Livre.jor no ano passado.

No ano passado a produção total das moscas foi de 260 notícias, somando aquilo que foi publicado no portal próprio e o conteúdo publicado assinado pelo Livre.jor em outros veículos. Em 2018, foram 184 notícias em nosso endereço na internet e 76 na imprensa regional e nacional. Em 2017, foram 220 e 40, respectivamente.

Além do aumento da produção “para fora” em 2018, há outra diferença entre os dois anos: a realização do projeto Latentes. Graças ao apoio do Fundo Brasil de Direitos Humanos, uma equipe de jornalistas coordenada pelo Livre.jor mapeou em todo o Brasil os riscos de conflito sociambiental associados à mineração. Aberta na internet, a base de dados já foi utilizada por jornais de outros quatro estados. Os números nacionais foram destaque no UOL.

O projeto Latentes somou-se, portanto, às iniciativas especiais do Livre.jor. Em 2018, foi atualizado o observatório Na Conta do Deputado, que facilita o controle social sobre o uso que os 54 parlamentares da Assembleia Legislativa do Paraná fazem da cota de R$ 31,4 mil por mês que cada um tem direito. Só em combustíveis, dava para ir à Lua 115 vezes.

Destaques – Em 2018, além de expor os 4.536 conflitos socioambientais latentes no país para o UOL, as moscas fizeram outra denúncia nacional. Especial para o The Intercept Brasil, Rafael Moro Martins, José Lázaro Jr. e Alexsandro Ribeiro denunciaram o aumento da morte por fome entre os idosos no Brasil – 5 mil por ano. Os dados do Paraná foram publicados na Gazeta do Povo.

Na Gazeta, várias reportagens merecem destaque. Denunciado o uso de telemarketing pela Casa Civil do governo do Paraná, houve a abertura de um inquérito pelo Ministério Público do Paraná para investigar o caso. Também o encobrimento de sonegação de R$ 704 milhões, objeto da Operação Publicano, a briga do governo com o Tribunal de Contas pelos R$ 115 milhões para fiscalização dos pedágios, os prejuízos contínuos que levaram ao fechamento da estatal PRSEC, a suspeita sobre 160 obras em escolas públicas, o gasto dos deputados estaduais com pesquisas secretas e a desoneração fiscal que tira R$ 10 bilhões por ano dos cofres do Paraná.

Ah, teve também a denúncia de uma cidadã no Tribunal de Contas do Estado contra a licitação do governo para a compra de R$ 25 milhões em motos Harley Davidson. E o levantamento, em primeira mão, do baixo impacto do programa Patrulha do Campo, com apenas 3% das estradas rurais reparadas, e cuja investigação do Ministério Público do Paraná levou à prisão temporária do ex-governador Beto Richa.

Truco Paraná – A maior parceria do Livre.jor em 2018 foi com a Agência Pública, que escolheu as moscas para fazerem a checagem de fatos das eleições estaduais. Foram 36 apurações no primeiro turno das eleições majoritárias, analisando a veracidade das afirmações de Ratinho Júnior (PSD), Cida Borghetti (PP), João Arruda (MDB), Doutor Rosinha (PT) e dos demais candidatos ao Palácio Iguaçu. Confira aqui o que descobrimos.

Também participamos da contagem dos casos de violência durante as eleições nacionais, em duas reportagens (“Apoiadores de Bolsonaro realizaram pelo menos 50 ataques em todo o país” e “Violência eleitoral recrudesceu no segundo turno“) e uma entrevista sobre o pedido de federalização do caso (“Só uma investigação nacional terá condições de entender a intolerância política”).

A meta é não deixar a peteca cair em 2019, beleza? Ajudem com sugestões de pauta e, se quiserem conteúdo do Livre.jor no seu jornal, basta mandar e-mail para contato@livre.jor.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze + 9 =