Pública, UOL, Lupa, Piauí, Folha de S. Paulo. A semana em que o Livre.jor repercutiu pelo Brasil

Nem o próprio autor do furo, o jornalista Alexsandro Ribeiro, na quarta- feira (15), imaginou a comoção que causaria o valor gasto pela Câmara Federal com as horas extras dos seus funcionários, nos dias 15, 16 e 17 de abril deste ano, por ocasião da votação sobre o impeachment de Dilma Rousseff.
Enquanto na página do Livre.jor no Facebook tudo seguia normalmente, a divulgação da notícia pela Agência Pública chegou a 1,4 mil compartilhamentos. Via Paraná Portal, o Livre.jor debutou na capa do UOL, a principal referência da internet brasileira. E ainda era quinta-feira (16).

Na sexta-feira os R$ 3,5 milhões estamparam as versões digitais da Folha de S. Paulo e Revista Piauí, graças ao interesse da Agência Lupa no conteúdo. Na base da gentileza, e do princípio que informação boa é aquela que está na boca do povo, fomos deixando a internet nos levar. Em retribuição, a Lupa disse ser essa a primeira parceria entre as nossas agências. “Quais as próximas?”, vocês perguntam. Sequer imaginamos, mas gostamos da ribalta. Podemos nos acostumar.

Enquanto isso, na terrinha, Bem Paraná, Paraná Portal e Gazeta do Povo – que sempre apoiaram o Livre.jor, nessa longa jornada rumo à credibilidade – também repercutiram os números. Outros vieram na onda: Revista Fórum, Jaraguá Notícia, Tarobá Londrina. A manchete circulou bastante, o tráfego no site do Livre.jor subiu um pouco – vocês esqueceram como faz para clicar num link, poxa vida? – e ganhamos 126 assinantes no Facebook. A vida? A vida continua. Agora somos 3,4 mil no FB, 270 no Twitter e 6 no Google Plus.

Neste ano, 17 mil internautas já passearam por www.livre.jor.br, deixando atrás de si o rastro de 27,3 mil pageviews – média de uns 4 mil/mês. 51% desse tráfego vem de redes sociais, quer dizer, do Facebook (98%). Buscadores direcionam 19,45%, outros 19,29% é acesso direto. Só 9,5% de quem lê Livre.jor direto na fonte visitou-nos graças a link noutros sites – Paraná Portal, A Pública e Gazeta do Povo no topo desse ranking. Sugestões para melhorar esses números? Não vale apelar, por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − 8 =