Now Reading
Novos comissionados no MP-PR podem custar R$ 3,7 milhões ao ano

Novos comissionados no MP-PR podem custar R$ 3,7 milhões ao ano

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) enviou projeto de lei à Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) para criar mais 27 cargos em comissão na instituição. O MP-PR já possui 1.174 funções gratificadas e postos comissionados, dos quais 1.100 estavam ocupados no dia 13 deste mês, segundo tabela divulgada pela instituição.

Alega o MP-PR que a medida atende a demanda do Conselho Superior do Ministério Público (CSMP), órgão colegiado da própria instituição que é responsável por fiscalizar as atividades órgão. Caso sejam aprovados os novos cargos, o impacto mensal na folha de pagamento será de R$ 286 mil, e o custo anual dos comissionados será de R$ 3,7 milhões.

Se a medida for aprovada, o número de vagas de comissionados no MP-PR passaria de 1.174 para 1.201. Nos últimos cinco anos, o órgão aumentou em 35% o total de vagas disponíveis para comissionados. Em 2015, o MP comportava até 889 cargos em comissão.

Quando se observa o total de vagas preenchidas, o aumento em cinco anos foi ainda maior, chegando a casa dos 41%, passando de 778 comissionados em 2015 para 1.100. Com o aumento previsto pelo projeto de lei, o crescimento de comissionados desde 2015 chega a 45%.

Justificativa – Serão criados sete cargos de assessor de conselheiro, cuja finalidade é “criar a estrutura mínima necessária para o funcionamento do Conselho Superior”. Também serão criados 20 cargos de assessor de Promotoria de Justiça, para dar suporte às promotorias, “de modo a assegurar respostas às demandas institucionais complexas e de caráter regional”.

Nos dois casos, o aumento da demanda extrajudicial, de procedimentos administrativos e de judicialização de conflitos são os principais argumentos do MP-PR para pedir à Alep a aprovação dos novos cargos. Parte deste aumento, destaca o Ministério Público, é consequência da implantação do processo digital, que tem “gerado maior celeridade no trâmite processual, impondo maior agilidade nas manifestações institucionais”.

 

Desde 2014 ricocheteando no pavilhão auditivo dos poderosos.

Scroll To Top